Pesquisa fácil

Carregando...

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

RESENHA: Lendo imagens criticamente

KELLNER, Douglas. Lendo Imagens Criticamente: em direção a uma pedagogia pós-moderna. In: TOMAZ, Tomaz T. (org.). Alienígenas na Sala de Aula. Petrópolis: Vozes, 1995.

Jonathas Henrique Britto Porto*


Uma ênfase na leitura crítica das imagens que são propagadas pela nova cultura da modernidade: Esse é o principal ponto levantado por Douglas Kellner, professor da Universidade de Texas, Austin, Estados Unidos, em seu ensaio Lendo Imagens Criticamente: Em direção a uma Pedagogia pós-moderna. O convite ao incentivo de um alfabetismo crítico para a sociedade se faz presente não só no título do trabalho mas também apresenta-se como eixo central do discurso do professor no decorrer do texto.
Mais que um eixo central, o alfabetismo crítico emerge do texto como uma habilidade que deve ser adquirida pelos indivíduos pós-modernos. Se em 1991, quando o ensaio foi inicialmente publicado, o alfabetismo crítico era algo que necessitava ser desenvolvido naquela época, quanto mais agora, 14 anos depois de sua publicação, onde vivemos em m verdadeiro bombardeio de imagens e sons cada vez mais fascinantes, deslumbrantes, carregados de intencionalidade, ideologias e informações que moldam o pensamento e o comportamento dos indivíduos.
Em todos os subtópicos do ensaio, Kellner sempre procura apresentar a sociedade pós-moderna com uma sociedade imersa na nova cultura das imagens e incentiva a análise crítica de tais imagens: posições pós-modernas: algumas aberturas e avanços teóricos; lendo imagens criticamente; lendo anúncios criticamente;imagens simbólicas nos anúncios de Virginia Slims e Malboro; alfabetismo crítico, mídia e cultura consumista da imagem; implicações para a Política Pública e para a Política da Educação. É comum em todos esses subtópicos as argumentações em torno da importância da análise crítica das imagens na qual está apresentada no texto nos termos alfabetismo crítico e pedagogia crítica sempre fazendo uma alusão a uma habilidade a ser conquistada pela sociedade.
À medida que o leitor aprecia 27 páginas do ensaio, escritas de maneira coerente, concisa e clara, vai se convencendo de que realmente é necessário adquirir uma leitura crítica das imagens, desenvolver um pensamento autônomo e possuir um discurso público e crítico.
No subtópico Lendo Anúncios Criticamente Kellner investe em argumentos que mostram a publicidade como uma rica e potente fonte de imagens culturais, apresentando-a dentre outras coisas como um importante indicador social que fornece informações a respeito das atuais tendências da sociedade. É nesse sentido que o autor argumenta afirmando que os anúncios publicados exigem um processo sofisticado de decodificação e interpretação.
Ao concluir seu ensaio o autor apresenta dados do gasto com publicidade nos Estados Unidos mostrando o surpreendente crescimento e exagerado investimento nesta área. Com esses gritantes dados Kellner mostra que a publicidade tem se tornado uma questão de política pública, uma luta que deve se iniciar pela criticidade a ser ministrada por uma pedagogia crítica, um alfabetismo crítico que ainda continua sendo um desafio para uma política a ser construída: a política crítica.
Para a área da educação o trabalho de Kellner mostra-se bastante oportuno para as discussões referentes às atuais tendências sociais. Construir uma pedagogia crítica pós-moderna remete a uma análise do comportamento da sociedade em questão e à busca de estudos como o de Douglas Kellner. O ensaio interessa, pois, a todo estudioso e, em especial, a todo aquele que quiser atuar no campo educacional.

*Acadêmico do curso de Pedagogia pela Universidade Estadual de Feira de Santana

Um comentário:

  1. Belíssima resenha, Porto. Parabéns pela concisão e criticidade do texto. A propósito, foi você que fez o desenho e a descrição do prof. Edson? Muito legal!!!

    Beijo,

    Lana

    ResponderExcluir